Flores
             
  Quando começa a raiar
  O dia cheio de amor,
  Eu gosto de contemplar
  O coração de uma flor,

  Desmaiada e tremulante,
  Pendendo triste no galho,
  Tendo o pistilo brilhante
  Embalsamado de orvalho:

  A rosa só me parece,
  Assim tão casta e sem véu,
  Um anjo rezando a prece
  Um’alma voando ao Céu.

  Do jasmim puro e mimoso,
  A corola embranquecida,
  É como um seio formoso
  De criança adormecida.

  Esqueço-me, então, das horas
  A contemplar estas flores,
  As violetas, auroras,
  Saudades, lindos amores.
               Auta de Souza - 1894